sexta-feira, julho 31, 2015

Que seu Sim Seja Sim, Que Seu Não Seja Não!

Estou tão decepcionado com a “política” que alguns meses atrás eu afirmei com “veemência”, palavra da vez para justificar erros, que não escreveria mais sobre o tema aqui no Blog e, como estão vendo, menti. Até porque a Política não é só a ciência da governança de um Estado ou Nação ou uma arte de negociação para compatibilizar interesses. É também um conjunto de regras ou normas que não podemos de deixar de usá-las para melhorar o nosso dia a dia,  nossas ações presentes e futuras, não só para melhorar nossas vidas e por consequência as dos mais próximos e principalmente dos mais distantes. Quando somos políticos em nossas ações não quer dizer enganação como a “política” que conhecemos, ao contrário, estamos falando da boa política que muito poucos de nós, se temos, não colocamos em ação. Talvez por puro egoísmo em compartilhar ou por não saber em colocar em prática, mas certamente, todos nós somos um pouco políticos seja para o bem ou para o mal. Seja como for, não podemos ficar em cima do muro. Temos que coloca-la em prática independente do resultado. Se errou, redima-se, se acertou, continue. Se você acha que uma coisa poderia ser melhor assim e tem certeza, insista, mas se não tiver certeza, recue e estude outra forma de exercê-la. Nós, seres humanos, temos sempre a certeza que estamos certos em tudo e não conseguimos enxergar as opiniões e ações de outrem, que é um erro que as vezes chega a ser fatal e talvez fique marcado para sempre. Por isso, temos que ser autênticos em nossas atitudes e decisões, claro que depois de pensar e repensar antes de atirá-las ao vento, pois isto pode não só complicar você como prejudicar ou decepcionar quem te rodeia, já que as palavras soltas ao vento não tem volta. Ser firme em sua decisão quer dizer que acredita, seja ela para afirmar ou negar. É como o título deste artigo: “Que eu Sim Seja Sim, Que Seu Não Seja Não”! Quem disse isto não fui eu, quem dera. Foi Jesus Cristo que deu a vida por nós sentindo a dor das estocadas, mas não do que escolheu em fazer para nos salvar. Ou como disse “Paulo Coelho” para melhor interpretação da frase: “Se você assumiu uma responsabilidade, vá até o fim”. 

Portanto, temos que manter a nossa palavra, porque ela é muito preciosa. Cada vez que sua palavra é honrada por seus gestos, ela se torna mais forte. Quando você dignifica sua relação com os outros, dignifica também sua relação com você. Os que prometem e não cumprem. Vivem criando problemas para si mesmos. Perdem o respeito próprio, têm vergonha de seus atos. A vida destas pessoas consiste em fugir; elas gastam muito mais energia desonrando a palavra, que os honestos gastam para manter seus compromissos. Se você assumiu uma responsabilidade boba, que resultará em prejuízo de entusiasmo, tempo e dinheiro, não torne a repetir esta atitude. Mas, desta vez, honre sua palavra, custe o que custar. Esta é a melhor maneira para os resultados “respostas imediatas” para os problemas do dia a dia, como pediu para que eu escrevesse um leitor de Natal-RN, Vinicius Gonzo. Se isto te ajudou amigo Vinicius eu não sei, mas é uma boa saída. A vida é feita de justiça e injustiças, mas não podemos nos render pelo mal cometido por ninguém, basta agir de forma correta, ou seja, cada um que faça sua parte para obter resultados, mas com certeza a justiça sempre vencerá. Olha só o que diz esta pérola de “Kafka”: “Um homem a procura de justiça, caminha até o Palácio da Lei. Diante da porta do palácio, um soldado monta guarda. Como o sentinela não lhe dirige uma palavra, o homem resolve esperar. Espera um dia, mas o guarda continua mudo. Pensou – Se eu ficar por aqui, ele perceberá que eu quero entrar. E ali permanece. Passam-se dias semanas, e anos inteiros. O homem continua diante da porta, e o sentinela continua montando guarda. Já velho, ele reúne todas as forças e diz ao guarda: “Eu vim até aqui em busca de justiça. Por que você não me deixa entrar? “Eu não lhe deixei?”, responde o sentinela. “Você nunca me disse o que estava fazendo aí! A porta estava aberta, bastava empurrá-la. Porque você não entrou?”. Viu amigos, como a indecisão do que quer ou a falta de coragem de ir em busca do que procura pode ser tarde demais? Decida-se na vida. “Se é Sim é Sim, Se é Não é Não”. Tenha coragem seja qual for a sua decisão. Até a próxima.
edudoroteu@gmail.com – www.facebook.com.br/ze.duda

quarta-feira, julho 22, 2015

Derrotado uma “Ova”, Fortalecido!

Muitas pessoas andam me perguntando sobre a penúltima postagem onde narro uma história do meu amigo Pedro “Poeta” Coelho e, se isto não era um tipo de contradição, já que passei coisas piores e que há muito pouco tempo eu me sentia um “derrotado”, e de onde eu tirava todas essas conclusões. Para alguns respondi que tinha sido só uma fase difícil, mas para outros que insistiram na tese da “contradição” fui obrigado a ser mais sucinto. Disse a eles que é o que eu sempre repito, “Os acertos só vêm com o aprendizado dos erros” e isto não é nada filosófico, é uma coisa normal que ouvimos todos os dias, mas o pior é que muitos, mesmo sabendo de seus erros, costumam a não consertá-los o que também é muito compreensível, pois em nossas vidas de 100%, acertamos apenas 10% e erramos 90%. Se para alguns deles eu fui um “derrotado”, posso dizer que a “derrota”, ao contrário do que pensam, é uma coisa às vezes muito mais benigna que maligna, pois ela nos fortalece muito mais do que pensamos. No quesito de onde tirei tudo, já que não sou nenhum escritor e sim uma simples pessoa que gosta de escrever, digo-lhes que tirei todas estas conclusões através da leitura e também da escrita. Por falar em leitura, olha só que pérola (resumida) de Paulo Coelho sobre este assunto quando ele diz: “Escrevo sempre, e acho muito importante escrever. Se pudesse dar um conselho, diria a todo mundo: escreva. Seja uma carta, ou um diário, ou algumas anotações enquanto fala ao telefone – mas escreva”. Se você quiser entender melhor seu papel no mundo, escreva. Procure colocar sua alma por escrito, mesmo que ninguém leia – ou, o que é o pior, mesmo que alguém termine lendo o que você não queria. O simples fato de escrever, nos ajuda a organizar o pensamento e ver com clareza o que nos cerca. Um papel e uma caneta ou um teclado de um computador operam milagres – curam dores, consolidam sonhos, levam e trazem a esperança perdida. “A palavra tem poder, mas a palavra escrita tem mais poder ainda”. 

A “derrota” é uma palavra horrível, asquerosa, difícil de dizer e escutar, mas por incrível que parece ela é necessária justamente para nos ensinar meios de superá-la e esmaga-la. Já que falei no Paulo Coelho, olha só mais uma historinha dele: “Eu estudava na Escola de Teatro, quando o ex-campeão de pesos pesados, Mohammed Ali, resolveu lutar com George Foreman pela reconquista do título. No dia da luta, um dos professores da escola me chamou: “Mohammed Ali vai ganhar”, disse ele. Não creio, respondi. “Afinal de contas, George Foreman nunca perdeu uma luta em toda sua vida”. Justamente por isso, replicou o professor. “Quem já foi à lona uma vez, está muito mais preparado para vencer, do que aquele que nunca perdeu”. Algumas horas mais tarde, Ali recuperou pela segunda vez o seu título. Muitos de vocês não tiveram a oportunidade de ver esta luta como eu. Aconteceu no Zaire em outubro de 1974 e foi transmitida ao vivo para todo o mundo. Ali, tinha perdido seu título em 1967 por não querer lutar na Guerra do Vietnã por seus conceitos pacifistas. Foreman era visto como um “monstro” no boxe. Sua força e sua envergadura aos 25 anos eram assustadoras. Ali, com seus 32 anos olhou para Foreman e disse: - Vou massacrar você. Usando sua inteligência e não a força que Foreman tinha, deixou que ele começasse a bater e sempre olhando para o os olhos de Foreman dizia com total confiança: - E tudo isto que você pode fazer?, Minha mãe bate mais forte do que você”. E assim foi até ao 8º round quando acertou um direto no rosto de Foreman, levando-o a lona. Fim de luta, e o mundo ficou estarrecido com sua estratégia e força de vontade, até o próprio Foreman. Viram aí caros leitores, como as coisas que às vezes pensamos que é o fim pode ser apenas o começo? Portanto, não há contradição em minhas palavras e sim a convicção que: Derrotado uma “Ova”, Fortalecido! Faça como o Ali. Até a próxima.
edudoroteu@gmail.com – www.facebook.com.br/ze.duda

quinta-feira, julho 16, 2015

Se Conselho Fosse Bom Ninguém Dava, Vendia? Mito!

Hoje vi meu amigo, Pedro “Poeta” Coelho, com um olhar distante, triste e com um ar de preocupação e desesperança. Motivo: a perda do emprego ao final de seu contrato com a empresa em que trabalhava. Preocupado então fiquei com ele e por ele. Não pela sua condição financeira, mas por sua sensibilidade afinada, pois ele além de Engenheiro Civil e Administrador é um “poeta” de primeira com alguns livros de poesias publicados, mas não reconhecido pelo grande público, porém reconhecido por pessoas como o escritor Ziraldo, do qual recebeu vários elogios. Pena que no Brasil são poucas as pessoas que se interessam por uma boa leitura, assim, gente como meu amigo não são reconhecidas e muito menos valorizadas. Por conhecer bem o Pedro e ter a liberdade de conversar qualquer tipo de assunto mostrei a ele que esse tipo de preocupação é normal e acontece todos os dias, não só com ele, mas com a maioria das pessoas, pois o futuro é incerto e cheio de surpresas, às vezes boa, ás vezes desagradáveis e, ninguém está imune a isto. Ele, Pedro, talvez tenha tido um grande impacto por nunca ter tido passado tal situação, o que é compreensível, então, me perguntou o que eu achava de tudo pelo que está passando. Como sempre fui muito sincero a todos que me perguntam, disse mostrando a ele um calendário que estava em cima da mesa em que só tinha crianças deficientes e todas com um sorriso estampado no rosto: - Viu como tem gente milhões de vezes pior que você? E ele me confidenciou uma coisa que fez o seu falecido pai: - “Duda, um dia meu pai me pegou reclamando da vida, me colocou dentro do carro e me levou para um viaduto onde moravam vários moradores de rua que ser quer tinham o que comer e disse: - Pare de reclamar da vida “moleque”. Olhe para essas pessoas e faça uma reflexão de sua vida, vá à luta! Então eu disse: - Você não aprendeu com o que seu pai lhe disse? A resposta foi: - Aprendi, mas se você não me abre os olhos eu não teria lembrado, obrigado Duda. Isto mostra que no momento de desespero os neurônios não funcionam muito bem, não só com ele, mas com todos nós. 

Esta história do Pedro é só mais uma em meio de um mundo em que as pessoas não olham para baixo, principalmente em que está pisando. Infelizmente isto vem acontecendo desde que o ser humano conseguiu andar e lutar por sua sobrevivência. O maior desse exemplo é “Cristo” que nem preciso relatar a história, imaginem um ser humano qualquer. E continuando a nossa conversa eu disse a ele: - Pedro, você está a menos de um mês desempregado e já está entregando os pontos? Que tipo de “poeta” é você? Escrevendo como você escreve já deveria entender mais do que eu que passei quase um ano procurando um emprego, pelos mesmos motivos, e que agora consegui recuperar. Para que você entenda leitor, trabalhávamos juntos, meu contrato acabou e o dele não, agora é o inverso, o dele acabou e eu voltei para assumir minha antiga posição. São dois extremos, mas é isto que acontece como eu disse acima: “o futuro é incerto e cheio de surpresas, às vezes boa, ás vezes desagradáveis”. Certamente esse tipo de situação já aconteceu contigo também e, não deixará de acontecer sempre e sempre com outrem. O importante é saber, como disse em sua letra o compositor “Paulo Vanzolini”, espetacularmente interpretada em 1962 pelo cantor “Noite Ilustrada”: “Chorei/Não procurei esconder/Todos viram, fingiram/Pena de mim não precisava/Ali onde eu chorei, qualquer um chorava/Dar a volta por cima que eu dei, quero ver quem dava/Um homem de moral, não fica no chão/Reconhece a queda e não desanima; Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima.” No mundo, principalmente no Brasil, não é fácil sair de certas situações pela crise financeira, política e moral por qual passamos, mas é possível. Isto vai depender de você, de sua força, de sua persistência, de sua perspicácia e principalmente de sua humildade em ver onde errou para se redimir e começar tudo de novo, pois a vida é puramente renovação. Não se acomode, não esmoreça, não deixe que sua vida vire uma rotina. Lute e não desista nunca, já que não existe almoço de graça. Até a próxima.
www.facebook.com.br/ze.duda - edudoroteu@gmail.com




domingo, julho 12, 2015

A Soberba destrói você, seus sonhos e quem estão ao seu redor!

Não interessa quem é você ou qualquer tipo de instrução. Não existe posição para a “soberba”, conhecida como “orgulho” que é o sentimento caracterizado pela pretensão de superioridade sobre as demais pessoas, levando a manifestação ostensiva de arrogância, por vezes sem fundamento algum em fatos favoráveis reais. Ela não faz parte dos 7 pecados capitais, mas faz parte de um conjunto de tudo como a (1) Gula, (2) Avareza, (3) Luxuria, (4) Ira, (5) Inveja, (6) Preguiça, (7), Orgulho ou Vaidade. Segundo o filósofo Santo Tomás de Aquino, a “soberba” era um pecado tão grandioso e ser tratado em separado do resto e merecendo uma atenção especial. Ele tratava em separado a questão da vaidade, como sendo um pecado. Explicando cada um desses pecados, segundo estudos, a gula é o desejo insaciável, além do necessário, em geral por comida e bebida. A avareza é o apego excessivo e descontrolado pelos bens materiais e pelo dinheiro, priorizando-os e deixando Deus em segundo plano. A luxúria e o desejo passional e egoísta por todo o prazer sensual e material. A ira é o intenso e descontrolado sentimento de raiva, ódio, rancor que pode ou não gerar sentimento de vingança. A inveja é considerada pecado porque uma pessoa invejosa ignora suas próprias bênçãos. Deseja status, habilidades e tudo que é e possui para cobiçar o que é do próximo. A preguiça é um dos sete pecados capitais, caracterizado pela pessoa que vive em estado de falta de capricho, de esmero, de empenho, em negligência, desleixo, morosidade, lentidão e moleza. Aversão ao trabalho, frequentemente associada ao ócio, vadiagem. E por final, o orgulho ou vaidade. Conhecida como “Soberba”, é associada a orgulho excessivo, arrogância e vaidade. Gente com este tipo de atitude é encontrada em todos os lugares o que torna o ambiente insuportável, mas a boa notícia é que pessoas assim não têm vida longa e nem sucesso no que faz, pois um dia a casa pode cair sem tempo para a recuperação. 

Se você não está fora deste grupo de pecados, parabéns. Se você já teve, acho que é o caso de mais de 90% das pessoas, e conseguiu se libertar parabéns mais ainda, mas se você se sente ameaçado por algum deles procure ajuda para se libertar por que qualquer um desses sentimentos leva à pessoa a bancarrota. As outras pessoas ao perceberem esta conduta começam a se afastarem, a te ver com outros olhos. Tudo que você conseguiu na vida com muito esforço começa a sair pelos ralos e quando você acordar poderá ser muito tarde, pois o bem raramente é percebido por outrem, mas os defeitos são fatalmente detectados, infelizmente. Aprenda a ser você mesmo sem atropelar ninguém, por exemplo: Se você é o “chefão”, o todo poderoso, não atropele o seu subordinado imediato. Deixe que ele sob suas ordens cuide do outros subordinados e assim por diante até chegar à base. Com este comportamento se consegue o sucesso no trabalho, nos estudos, dentro de sua casa e assim por diante. Sabia que o tal de “quem manda aqui sou eu” é o segredo do insucesso? Não é atoa que grandes empresas não tratam seus funcionários como empregados e sim por “colaboradores”. Nos meus estudos como Administrador eu aprendi uma coisa interessante – se você é o dono da empresa e está com dificuldades financeiras e às vezes tem que atrasar salários, comece a pagar primeiro os debaixo e vá subindo cada degrau até chegar a você, não faça o inverso, pois o apoio e a base é o que sustenta qualquer coisa, sem eles nada se sustenta. Fatalmente você terá sucesso e começará sair da crise, pois “colaborador” algum quer ver sua empresa se desabar, ao contrário, quando tratados com respeito, fará de tudo para ajuda-lo e a si próprio. Se você é um chefe no serviço público, faça melhor ainda e terá sucesso somado a respeito, pois você é pago pelo povo. Ontem mesmo, um amigo (Aldair) que observou minha luta para me colocar melhor no mercado de trabalho e vendo que eu consegui, me entregou calado um papelzinho que dizia: “Os obstáculos são os mesmos para todos. Os resultados são melhores para alguns”. Não é verdade? Até a próxima.

sexta-feira, julho 03, 2015

O Tempo Não Para, Não Volta e Nem Aceita Arrependimentos!

Agora posso entender porque, “ás vezes”, é necessário que as coisas aconteçam antes, para que o depois não seja mais dolorido. Até a própria história mostra isto. Um bom exemplo de reação imediata, em que tive o prazer de ver e viver, foi no ano mais conturbado da história contemporânea, 1968, onde aconteceram várias tragédias que começaram a mudar o mundo como a Guerra do Vietnã, a Primavera de Praga, os assassinatos de Martin Luther King e Robert Kennedy, As melhores músicas dos The Beatles e o AI-5. E assim começou no mundo e no Brasil uma série de transformações políticas, éticas, sexuais e comportamentais, que afetaram as sociedades da época de uma maneira irreversível. A parte negativa da história foi uma significativa porcentagem da juventude militante que se refugiou no consumo de drogas ou escolhesse o caminho da violência, da guerrilha e do terrorismo urbano. Mesmo assim, era a hora de acordar e agir, não perder mais tempo. Um toque foi dado pelo compositor Geraldo Vandré em sua música 2ª colocada no 2º Festival Internacional da Canção, “Pra não dizer que não falei de flores”, também conhecida como “Caminhando” que no seu refrão alertava: “Vem, vamos embora, que esperar não é saber, quem sabe faz a hora, não espera acontecer”. Percebe-se aí que não se poderia mais ficar parado ou deixar para o “amanhã” o que deveria ser feito antes. Pena que depois de tanta luta para conseguir a “democracia e a igualdade” o povo novamente se acomodou por décadas e olha o que aconteceu e o que está acontecendo no mundo inteiro por não tomarem medidas necessárias para não chegar aonde chegou, como as crises da Grécia, Venezuela, Brasil e outros. Os governantes e políticos ao verem a acomodação popular deitaram e rolaram em caminhos inversos e principalmente da corrupção. Não deixando de falar também das novas guerras mundo afora, fome e falta de liberdade que não é nada mais, nada menos que um genocídio desenfreado. 

Agora entrando no “nosso” cotidiano, quando você tem um problema, as pessoas às vezes dizem: “dê tempo ao tempo porque ele é o senhor da razão e tudo se resolverá”. Claro que isto aí, dependendo de quem você ouve, pode ser interpretado com uma palavra amiga e de alento, mas a coisa não é bem assim. Mesmo que você entenda assim, não se pode deixar para amanhã o que se pode fazer agora, pois o tempo não é paciência, ele corre enquanto você fica parado, ele não para. Ele sempre estará na dianteira e, quando você acordar não poderá recuperar o que deixou de fazer. É igual a uma corrida de “fórmula um” que é decidida por segundos ou até décimos de segundo. Já dizia Mario Quintana: “A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa. Quando se vê, já são seis horas! Quando se vê, já é sexta feira! Quando se vê, já é natal... Quando se vê, já terminou o ano... Quando se vê perdemos o amor da vida. Quando se vê passaram 50 anos! Agora é tarde demais para ser reprovado... Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio. Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas... Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo... E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo. Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz. A única falta que terá será desse tempo que, infelizmente, nunca mais votará”. Assim sendo, seu problema poderá até ser resolvido com sua lentidão ao pensar que a pressa poderá deixar tudo a perder, só que enquanto você fica parado e pensando em que fazer, o tempo já passou e outros problemas poderão surgir. O que estou falando para vocês nada mais é que um autoaprendizado, pois eu era tudo isto aí que estou relatando e não tenho vergonha de admitir. Eu pensava que no amanhã eu resolveria o que estava precisando resolver hoje e, a maioria dos resultados era desastrosa. Quando eu acordava para a realidade, já tinha uma fila de outros problemas para resolver. Então aprendi, pelo menos, pisar no acelerador. Até a próxima.

sexta-feira, junho 26, 2015

Será Que Deus Existe?

Esta foi uma frase dita pelo pai do cantor sertanejo Cristiano Araújo após sua morte em um acidente de trânsito. Muita gente contestou esta frase. Muita gente o chamou de Herege ou coisa parecida. Só que quem está de fora da situação faz comentários sem saber o que uma pessoa dessas está passando em perder um filho tão novo, independente de quem seja famoso ou não. Certamente o pai do cantor fez esse comentário na hora da dor e do desespero, pois ele também falou que em todas as viagens que o cantor fazia, pedia a Deus que o protegesse. Infelizmente aconteceu o pior, sabe por quê? Vou tentar explicar minha posição sobre a frase e não pelo acontecimento. Deus existe para quem acredita que Ele é tudo, mas Deus não pode interferir em suas atitudes, pois Ele, além de te proteger, te deu o “livre arbítrio de escolha”, de como viver e se proceder. Ele, por exemplo, não pode te ligar para o tal de “zap-zap” e te dizer: “filho”, não entre neste carro sem cinto de segurança, ou: “filho, não pegue drogas”, ou: “filho, não mate”, ou: “filho, não roube seu irmão”, ou: “filho, não estupre, não roube, não maltrate as pessoas, não se acovarde para a vida, não destrua aquilo que meu “Pai” tanto sonhou para a humanidade”. Deus nos dá um caminho, basta à gente seguir seus conselhos. Quando falo acima sobre o cinto de segurança, o casal certamente pensava que nada aconteceria. No carro tinham quatro pessoas e os que faleceram não tomaram os cuidados para se protegerem. Foi por querer? Não, acho que foi apenas um ato disperso que custou muito caro para toda a família e para seus fãs. Deus não teve nada a ver com isto, pois como religiosos que eram independentes da religião, o erro foi de “alguém” e não de Deus. Você pode até dizer aqui que: “há, é porque não aconteceu com o Edu Doroteu”. Mero engano amigos, o meu problema foi muito mais sério do que você possa imaginar. Eu também perdi um filho e de maneira trágica. Muito mais que esta. 

Não vou entrar em detalhes para não pensar que quero comover alguém, mas meu maravilhoso e amigo filho escolheu o caminho dele e  Deus não interferiu. Por isso, não me venha culpar Deus por coisa alguma. Se fosse assim, se Deus escolhesse os que fossem morrer num tal dia, não existiria um 11 de setembro. Será que Deus, aleatoriamente escolheu estas pessoas sem que elas jamais se conhecessem e as mandaram para o mesmo lugar? Claro que não. Quem escolhe sua morte é você mesmo. Não porque quer morrer, mas pelos seus atos. O Brasil sempre se comove quando morre uma “celebridade”, mas esquece de tantas pessoas que morrem, não digo de fome porque o povo brasileiro é muito solidário, mas com doenças que adquirem por dormir nas ruas, frequentando “lixões” e ás vezes dependendo do lugarejo, até de fome, nas filas de hospitais públicos que nada têm a oferecer. Por um acaso isto é culpa de Deus? Claro que não amigos. Deus nos deu o “livre arbítrio” para escolhermos nossos caminhos. E te deu também o direito de você escolher as pessoas que iram te representar e te dar de volta seus direitos como cidadão cuidando de seus direitos básicos. E quando isto não acontece, você ao invés de culpar a quem você mesmo escolheu não deu retorno, olha pro Céu e diz: Porque  Senhor”, cobrindo um Santo e descobrindo o Outro. Isto me cheira hipocrisia. Este ponto político só foi um desabafo, mas voltando a tese se Deus realmente existe tenho a dizer com certeza que Ele só não existe como está aqui sempre ao seu, ao meu e ao lado de todos. Basta você perceber. Quando alguma coisa está boa em sua vida, você dá Graças a Deus, mas quando nada está dando certo, você o questiona. Deixe de ser hipócrita e olhe onde você está errando para não culpar ninguém pelo seu ato principalmente a Ele. Cada um tem o que merece. Cada um tem o caminho. Desejo ao pai do Cristiano meus pêsames assim como desejo a todas famílias das  mil e quinhentas pessoas que morrem no Brasil diariamente. Até próxima.

sexta-feira, junho 19, 2015

Você Pensa que Sabe, mas Talvez não Saiba!

Quem é você? Você sabe? Se souber me conte como descobriu e me ensine como saber quem sou. É como aquela intrigante e a mais famosa frase da literatura mundial da peça de “Willian Shakespeare” em “A tragédia de Hamlet”: “Ser ou não ser, eis a questão” que em minha visão consiste toda a dúvida e toda indecisão. Você pode interpretar de outra forma, mas na essência a palavra certa será sempre a dúvida. Se for assim, porque que você acha que sabe muito ou mais que alguém, no ponto filosófico, não no campo dos estudos ou formação profissional, é claro. Segundo a história. Sócrates, o precursor do autoconhecimento, foi chamado ao Templo de Delfos e lhe falaram que ele seria o homem mais inteligente do mundo. A partir daí ele começou a se confrontar com aqueles que diziam saber tudo. Mostrou que na verdade eles não sabiam de nada, e eram desmascarados quando suas verdades caiam em descrédito. Sócrates então disse se referindo a um homem que se julgava sábio: “Ele supõe saber alguma coisa e não sabe, enquanto eu, se não sei, tampouco suponho saber. Parece que sou um pouco mais sábio que ele exatamente por não supor que sabia o que não sei”.  Quem não se lembra da frase: “Só sei que nada sei” atribuída a Sócrates por seu discípulo “Platão”? Na verdade a frase, depois que pesquisei, era na verdade: “Todo meu saber consiste em saber que nada sei”. Perfeito e verdadeira esta frase, “Conhece-te a ti mesmo” que é o lema de toda sua vida de sábio. O que Sócrates quis dizer é que o autoconhecimento, além de ser a chave do progresso individual, é também um caminho eficaz para que o ser humano consiga crescer e desenvolver-se para ser uma pessoa melhor, ter uma vida melhor. Com ele, o autoconhecimento, é possível compreender nossas atitudes; mudar de hábitos; ter mais qualidade de vida; superar crises, pressões e períodos de mudanças; identificar melhor medos, traumas e bloqueios; investir no nosso potencial e evoluir. A vida é uma escada, um dia subimos, outros descemos. Concorda? 

Mas a coisa não para por aí. Junto a isto tem a questão do “Comportamento” para se conhecer. Temos que saber como somos de verdade! Se engraçados, tímidos, egoístas, soberbos, burros ou inteligentes, pois apesar de pensar que somos uma coisa, nosso comportamento pode mostrar o contrário, pois você pode mudar de atitudes, mas não de personalidade que é sua marca registrada. Se você me perguntar: Então o que devo fazer? Minha resposta neste caso de conhecimento interno será: Não sei, mas talvez seja começando a mudar nosso comportamento e mostrar que somos capazes de fazer coisas que jamais imaginemos mesmo sabendo que há comportamentos e atitudes que são muito difíceis de largar ou superar. Este é o grande desafio da vida. Conhecer a si próprio, ter consciência que podemos vencer o derrotismo e apegos e mudar o que for possível, pois como diz a psicóloga Mariângela Savoia: “Não existe nenhuma pesquisa científica que mostre que o ser humano não tem jeito”. Outro desafio também é saber que quando cair é se levantar com humildade, coragem e perseverança. Quando você passar por situações difíceis e consegue reagir, mostra que você está começando a “Conhecer a ti mesmo”. Essas regras são fundamentais para começar a subir a escada. Esqueça que você sabe tudo, comece do “zero”. Esta atitude não é humilhante, ao contrário, é louvável e corajosa. Não se deixe levar por comentários de pessoas vazias que não conhecem a si próprias e não enxergam os seus próprios pés. E quando conseguir isto olhe sempre para o primeiro degrau que você pisou. Será uma forma de você saber o quando é difícil a subida e fácil à descida. Claro que eu e você jamais seremos um “Sócrates”, mas podemos pensar igual a ele e seguir seu exemplo de quanto mais sábio, mais humilde em declarar publicamente que ninguém sabe tanto ao ponto de descobrir que na verdade nada sabe. Eu que já passei e estou passando por estas situações, admito que “nada sei”, mas estou aprendendo. Até a próxima.
“ACREDITAR é o primeiro passo para o MILAGRE”

terça-feira, junho 16, 2015

Quem és tu que queres julgar e não arriscar?

Vocês já notaram que as pessoas julgam outras sem ter a mínima ideia de quem são, e o pior, sem jamais tê-las visto e, se viu não a conheceu intimamente antes de fazer seu julgamento sobre elas? Eu entendo em que no mundo que vivemos atualmente às vezes temos certo temor em se aproximar, se relacionar ou fazer algum tipo de negócio com elas por não saber direito de quem se trata. Até aí tudo bem, mas como tudo na vida é um risco desde primórdios, porque temer? É como disse o escritor e orador norte-americano e pioneiro em livros de autoajuda (1883-1995), “Dale Carnegie”: “Arrisque-se! Toda vida é um risco. O homem que vai mais longe é geralmente aquele que está disposto a fazer e ousar. O barco da “segurança” nunca vai muito além da margem”. Você concorda com ele? Pois eu concordo. Por isto que existem pessoas que ao ter uma oportunidade, arriscam-se, ousam e tentam um novo negócio ou até mesmo uma mudança de vida. O filósofo romano “Sêneca” é o autor da seguinte frase: “Sorte é o que acontece quando a preparação encontra a oportunidade”. Ele quer dizer que se você está sempre à procura da oportunidade e está preparado para enfrenta-la, então poderá aproveitá-las ainda mais. Certas dicas de especialistas dizem que quanto mais pessoas estiverem com você, mais oportunidade elas podem trazer, inclusive amigos, parentes e etc. O mais importante é saber escolher quem você quer por perto, para não jogá-lo pra baixo e fazer desistir de uma oportunidade que pode ser única. Sendo assim, não se deixe levar pelas circunstâncias e problemas superficiais. Concentre-se naquilo que você busca. Deixe para cada dia seu próprio mal e não antecipe coisas que podem ser resolvidas no devido tempo. Seja otimista, pois pessoas otimistas são vencedoras, mesmo que demore a acontecer o sucesso. Se você tem medo quando uma pessoa lhe dá uma oportunidade ao pensar que como dizem por aí “que esmola demais o Santo desconfia”. Esqueça e arrisque. 

Nunca pare de aprender. Aprender com os erros, com o sucesso dos outros e com oportunidades ignoradas. Todos os dias há imensas chances esperando para ensinar você algo novo. Reciclar as opiniões e ideias é estar aberto para novas e melhores oportunidades. Arriscar e errar são coisas comuns. Tanto é que os maiores empresários no mundo todo tentaram mais de uma dezena de vezes até encontrar o caminho do sucesso e hoje estão aí nadando de braçadas, sem sequer ser político, funcionário público ou se aposentando com um emprego sólido que vai deixá-lo, mais ou menos estabilizado com um salário que um dia, com constantes mudanças na política econômica, aquele “dinheirinho tão sagrado”, qualquer hora não dará nem para pagar a conta de energia elétrica ou colocar gasolina, sendo otimista, no seu velho carrinho. Todos sabem que para passar em um “concurso público” não é para qualquer um. Não por falta de capacidade, mas pela dificuldade de se dedicar apenas aos estudos durante 2 a 4 anos para ter sucesso. Muitos conseguem, mas são os que podem pagar cursos caros bancados pelos “papais e mamães”. Claro que existem aqueles que com muito esforço conseguem. Uma minoria com mentes brilhantes, coisas que não se aprende em escolas ou cursinhos, pois “Einsteins” são poucos. A saída neste caso, caso queira sucesso a pessoa tem que arriscar em ser um empreendedor, pois é ele que gira a economia, dá empregos e pagam os impostos mais caros do mundo, no caso do Brasil, para que encham o cofre do governo para dar retorno ao seu povo, coisa que "nunca" aconteceu. Parece uma coisa insana, mas quando estamos dispostos a arriscar, encontrar parcerias, aproveitar as oportunidades que surge, o que mais vimos são pessoas que nos desestimulam mesmo aquelas mais próximas. É aí que eu me lembro de “Dante Alighieri”: “Quem és tu que queres julgar, com vista que só alcançam um palmo, coisas que estão a mil milhas”? Think e até a próxima.

quinta-feira, junho 11, 2015

“Não Adianta Nem Tentar “SE” Esquecer...”

Nos tempos da ditadura, a voz do povo era a voz dos “artistas de teatros, escritores, redatores, atores de TV, cantores e compositores que de uma forma sucinta em suas falas, letras e músicas mostravam ao povo o que estava acontecendo no Brasil nos chamados” “anos de chumbo” e com muita inteligência de certa forma burlava a censura imposta a todos os veículos de informação. Muitos desses personagens foram presos e exilados e ficou na lembrança das pessoas como mártires da tão dita “ditadura”. Entre eles estavam cantores e compositores como: Caetano Veloso, Gilberto Gil, Chico Buarque e Geraldo Vandré, entre outros que faziam um protesto “branco” em suas letras como a música do Caetano intitulada “Como Dois e Dois” gravada por Roberto Carlos em 1971, até então sendo poupado pelo Governo Militar, que dizia em um trecho da letra: “Tudo vai mal, tudo/Tudo é igual quando eu canto e sou mudo/Mas eu não minto, não minto/Falo, não calo, não falo, deixo sangrar/Algumas lágrimas bastam prá consolar... Meu amor, tudo em volta está deserto, tudo certo/Tudo certo como dois e dois são cinco. Nesta letra, se desejou colocar todos os ingredientes ideológicos que denunciassem a falta de liberdade e expressão impostada pela ditadura no Brasil, e assim temendo qualquer ingerência ou censura no trabalho, Roberto Carlos não teve dúvida, pegou sua equipe e foi para os EUA gravar a canção. Para muitos ideólogos caiu como uma ”bomba” pela a satisfação de conseguirem mostrar para muitos que realmente estava acontecendo. Esta foi só um exemplo entre outras como a canção de Chico Buarque: “Apesar de Você” que foi proibida de ser executada pelas rádios no governo do General Garrastazu Médice. Um fato interessante também ocorreu com a cantora Clara Nunes, que regravou a canção sem saber de seu tema político, viu-se obrigada a se apresentar nas Olimpíadas do Exército em 1971 para compensar o mal-entendido. Todas estas e outras canções de protesto tinham apenas um “rumo”, o “fim censura e da mordaça”. 

Agora, pasmem. É triste constatar que, do lado dos que sofreram com a ditadura, como os pseudo-s intelectuais acima citados, são os mesmo que tentaram impor uma censura em seus próprios colegas jornalistas tentando impedir na justiça o lançamento de suas autobiografias sem prévia autorização como fez o cantor Roberto Carlos que conseguiu na justiça proibir sua autobiografia escrita por Paulo César Araújo, fazendo com que a Editora Planeta recolhesse toda a tiragem das livrarias. Na política, outra figura pública que se posicionou contra a liberação das biografias não autorizadas foi José Dirceu. Porque será? O que esse pessoal tem a esconder? O caso então foi parar no Supremo Tribunal Federal para que fosse julgado o teor da questão. É mais que óbvio que em um país “democrático”, todos têm o direito de se manifestar nos tribunais como fez o advogado do cantor Roberto Carlos, mas ir a um tribunal defender a “censura” é o fim da picada. Este tipo de ato acaba aproximando o Brasil de países como Rússia, China, Cuba e outros países antidemocráticos. O certo é fazer como nos EUA, França e Reino Unido onde não há restrição prévia à publicação de biografias não autorizadas. Nesses países, caso o biografado se sinta prejudicado ou caluniado pela obra, pode recorrer à justiça, mas sempre após o lançamento. E o autor que se vire para arcar com as conseqüências, caso tenha ultrapassado a fronteira da ética. Só que no julgamento do STF, com o bom senso e conhecimento jurídico de seus juízes, o autor da denúncia levou uma estrondosa goleada de 9x0 contra a exigência de autorização prévia de biografados ou herdeiros para lançamento de livros ou obras audiovisuais, tirando do Congresso Nacional a decisão que muitos esperavam há anos para acabar com este tipo de caso. Melhor ainda, foi a Ministra Carmen Lúcia que falou em auto e bom tom: “Calar a boca já morreu”, ou seja: ninguém pode calar a boca de ninguém ou censurar quem quer que seja pelo o que fala ou escreve. Esta atitude veio em boa hora, já que se fala por aí que estão querendo censurar até a Internet. Espero que todos tenham aprendido com isto e, “Não adianta Nem Tentar “SE” Esquecer...”. Até a próxima. 

sábado, junho 06, 2015

Tema da Prova de Redação da UNB-Brasília: “Viagem a Marte Sem Volta”.

Cabuloso isto aí. O que tem haver um aluno que vai prestar vestibular para entrar na Universidade de Brasília, UNB, uma das melhores do país, não interessando o curso como Medicina, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Agronomia, Economia, Direito e mais de 20 outras profissões a conquistar, o que tem isto com o tema da redação. Quem gosta de Direito ou Economia quer lá saber, ou necessita saber que “diabo é isso”? Todos sabem, até eu, que a Terra e Marte têm órbitas elípticas, se aproxima a cada 26 meses. Na maior aproximação. Marte chega a torno de 60 milhões de KM da Terra. Mas quando cada um se encontra na maior distância com posição oposta o Sol ao meio, chega a 360 milhões de KM. Explicando, do Sol à terra são 150 milhões de KM e do Sol até Marte cerca de 210 milhões de KM. Quando Marte está do outro lado do Sol temos; Da terra ao Sol 150 milhões + 210 Milhões até Marte = 360 milhões de km. Com estas contas, seria impossível, se chegar e voltar com a tecnologia que temos agora. Quem sabe no futuro. Será que o tema da redação foi feito para os alunos expressarem sua imaginação em estar num lugar que nunca chegará? Se for para balançar a inteligência do aluno ou para ele viajar no tempo e tentar adivinhar o que poderia fazer em uma “Viagem a Marte Sem Volta” será muito difícil dar uma nota para essa Redação. Se, como diz o “caboclinho” lá do interior, “Se eu cesse” este aluno diria simplesmente: “Nada, porque eu iria para um lugar que eu saberia que nunca voltaria” Pronto: Nota 10. Não se pode generalizar um tema de uma Redação para todos os seguimentos. Além de psicólogos, filósofos e outros, têm gente que não está nem aí para o universo ou suas estrelas. Já basta nossos problemas “terrenos” para resolver. O universo e as estrelas estão aí para a gente admirar, não para entender, pois se fossemos querer entender iríamos entrar em parafuso. Quer um exemplo? “Quem nasceu primeiro, o “ovo” ou a Galinha”. Se você tiver a resposta, aguardo. 

Agora vou te dizer por que estou entrando neste tema. No Brasil, não é só nesse governo, pois é Lei, exige em um concurso público à aptidão física de um concorrente a “perito criminal”, a um Policia civil, a um agente da ABIN ou a Policial Federal como se isso fosse necessário para exercer a função. Por acaso não é o “cérebro” e a “inteligência” que manda? Se não for assim, então só existirão “Rambos” e lutadores e CFC. Fala sério! Em países de primeiro mundo, os profissionais de qualquer função são escolhidos, não por concursos e sim pelas suas aptidões e habilidades não interessando se é gordo, magro, deficiente ou não. Só que também tem um acompanhamento de suas funções, se pisou na bola, “TCHAU” sem direito a nada. É como se fosse qualquer trabalhador de outras funções, pedreiros, marceneiros e etc. Nesses mesmos países, não tem diferença do político para o cidadão trabalhador que pagam os salários deles. Eles não têm motoristas, apartamentos pagos por você, ajuda de custo, ajuda de gasolina, passagem de avião para onde quiser etc. etc. etc. e até “Bolsa Família” se brincar. Para você ter uma ideia, na Suécia, Deputado não tem salário e só uma ajuda de custo que é um apartamento de um quarto para estar perto do parlamento. Eles são políticos voluntários, “do povo e para o povo” como disse um amigo de vocês que já foi duas vezes presidente da república e ainda continua mandando. Voltando a “Marte”, tema da redação da UNB-Brasília, do jeito que está nosso país, você conseguir chegar em Marte, mesmo sem oxigênio, calor de mais de 100º centigrados, eu realmente não voltaria para a terra. Já que estou torrado aqui, por que vou lá? Porque então não colocar o “tema” da redação das provas como: “O que você acha da pobreza no Brasil”. “O que você faria para seu próximo e pessoas mais necessitadas ou, o que você faria se fosse o presidente do Brasil”? Estou achando que a UNB está tentando te mandar para “Marte” para que você esqueça o que está acontecendo na “Terra”. Até a próxima.



quinta-feira, junho 04, 2015

Não Adianta Empinar o Nariz; Você Não é Melhor Que Ninguém!

Em uma frase minha que postei no “Pensador”, disse: “É dos pequenos que sobrevivem os grandes”. Muitos leram e perguntaram o que eu queria dizer com isto; Respondi para alguns, que em minha modesta opinião, se você olhar para baixo não vai ver seu sorriso, no máximo o seu “nariz”. Quem empina o nariz e não olha nem para os lados, deveria saber que pode inclusive ser atropelado, mas não é atropelado por um carro ou coisa parecida certamente, atropelados pela vida, pois em nossas vidas acontece de tudo, o certo ou errado. Esses dois extremos são comuns, só que tem pessoas que acham que estando em um degrau superior, jamais o descerá. O perigo mora aí e, as decepções podem chegar mais depressa do que pensamos. Quem está embaixo, lá no térreo, a tendência é subir, já quem está em cima à tendência é ficar onde está ou descer. Seria muito bom se ela se mantiver que é o que todos desejamos para uma pessoa que conseguiu o sucesso, não sendo hipócrita e invejoso é claro. Ninguém quer ver uma pessoa cair para fazê-la de escada para subir. Assim sendo, “pequenos” são aqueles que acham que tudo pode, e os “grandes” são aqueles que tudo esperam para subir as ásperas escadas com firmeza para não mais descer. Se você achar que estou errado, basta ver quantas pessoas que já tiveram tudo na vida e caíram como um raio, por exemplo: O ator Wesley Snipes que tentou esconder ser milionário do governo americano para evitar o pagamento de impostos. Em 2006 descobriu-se que ele devia mais de US$ 12 milhões para as finanças. Foi condenado em 2008 e enfrentou uma penitenciária por dois anos, antes de ir para a prisão domiciliar, onde permanecerá até julho deste ano. Quer outro mais recente? O ex-presidente da CBF, José Maria Marim, que pensou que era Intocável e insubstituível, aos 83 anos, está preso, e é inquilino de uma cela solitária na Suíça por corrupção. Ainda bem que foi nos EUA e na Suíça, porque se fosse ao Brasil, estaria tomando cerveja em Copacabana. Isto mostra que e escada que eles subiram, virou um escorregador. 

Agora você quer ver quem começou no térreo e enfrentou todas as dificuldades que a vida pode proporcionar e, subiu as escadas com passos firmes, com sapatos antiderrapantes e que dificilmente ira descer? São vários, mas vou falar de dois deles que todo mundo já ouviu falar: Chris Gardner, um ex-vendedor de equipamentos médicos que perdeu a casa, a mulher e vagou de albergue em albergue com o filho pequeno, enquanto lutava para ser contratado por uma corretora de valores. Contratado, iniciou uma trajetória que desembocaria na sua própria corretora, a Gardner Rich, inclusive, teve um filme por seu desempenho, lançado em 2006, estrelado por Will Smith, “A procura da felicidade” sobre seus feitos. Outro que todo mundo conhece é Samuel Klein, das Casas Bahia. Passou pelos campos de concentração nazista na 2ª Guerra Mundial, mudou-se para o Brasil em 1950, iniciou sua carreira como mascate, vendendo roupas de cama de porta em porta e hoje é dono das “Casas Bahia”. Já, muitos milionários de “nariz em pé”, ficaram pobres no mundo e principalmente no Brasil. Não digo pobre de dinheiro, pois dinheiro se esconde e se encontra depois quando o cara é déspota, mas de passar por situações que “dinheiro nenhum compra”, como a liberdade e a moralidade. Hoje temos políticos, grandes empresários e pessoas no governo, de grandes instituições que só olham para seu próprio nariz esquecendo os que estão abaixo de sua prepotência, pensando que nunca se trombarão com eles no futuro. Pior ainda, são as pessoas do nosso cotidiano que quando crescem, claro que por seus próprios méritos, não olham para o lado ignorando aquele que um dia já o deu “bom-dia”, ou como vai, ou precisa de alguma coisa? O que estou dizendo aqui embaixo é daquelas pessoas lá em cima que subiram e esqueceram os debaixo. Se você conseguiu sucesso, parabéns, mas saiba que “Não adianta empinar o nariz, pois você não é melhor que ninguém”. Aprenda e Até a próxima.

quarta-feira, maio 27, 2015

O País de Quem só Perde Quem Nada Pode Perder!

No final dos “século 20”, O Brasil era um país promissor. O país da 7ª economia do mundo que crescia em uma velocidade nunca vista depois de um passado cruel de 100 anos onde era considerado um país de “terceiro mundo”. Este país deu esperança à maioria de um povo pobre, sofrido e submisso que acreditava em uma “democracia” onde o direito e deveres eram para todos sem distinção de raça, posição social ou cor.  Começando o “século 21” a glória que todos nós pensávamos em conseguir, foi por água abaixo. Só que este também é o “país do futebol”. Ganhamos a Copa do Mundo de 2002 e pensávamos que éramos imbatíveis em tudo. Depois disso, o país começou descer a ladeira, mas mesmo assim, o povo com sua bandeira dentro do lado esquerdo do peito acreditaram e mantiveram sua esperança. Acreditando que agora éramos mesmo o “país do futuro”, em nome da democracia, mudamos o regime “do crescimento ordenado” para o país do governo “do povo, para o povo”. Após isto, começando pelo “futebol”, começou a decadência. Fizemos uma Copa do Mundo desnecessária, pois o país ainda precisava de ajustes em sua economia e gastamos “bilhões de dólares” que hoje nos fazem falta. Só a FIFA levou $ 5 bilhões. E o castigo veio a “jato”. Perdemos uma Copa em casa sendo humilhados por goleadas que jamais na cabeça de qualquer brasileiro pudesse acontecer. Fomos eliminados por uma goleada histórica de 7x1 para a Alemanha, país que um dia foi nazista exterminado milhões de trabalhadores de todas as espécies, mas que hoje é um dos países mais conceituados do planeta que soube se superar. E para completar foi preso na Suíça o nosso presidente da CBF na época da Copa, José Maria Marin, por corrupção pelo roubo e propinas de milhões de dólares, não só na Copa, mas também em campeonatos internos no Brasil. Foi pedida sua extradição para os EUA para responder pelos seus crimes, pois hoje ele é vice-presidente da FIFA que também está enrolada até o pescoço. 

Lá, que é um país sério, será julgado como qualquer um de nós que “rouba uma galinha”. Se for culpado, “tadinho” dele. Irá cumprir a pena em sua totalidade, bem diferente do Brasil onde poderia pagar a pena em “regime domiciliar” na sua bela mansão. Na “economia” nosso país vai de mal a pior. Com propinas e superfaturamento de obras necessárias como nossas refinarias de petróleo que um dia foi o orgulho de todos nós brasileiros através da maior empresa do mundo no ramo, estamos praticamente quebrados ao ponto de fazer uma reforma onde tem que se tirar dinheiro das coisas mais importantes para o povo como Saúde e principalmente Educação para tentar tirar o país de um buraco sem fundo, buraco que eles mesmos cavaram. Qualquer mortal sabe que um país sem educação não pode crescer rápido, mas o governo insiste em cortar verbas para nossos universitários e futuros doutores, os únicos que poderiam nos empurrar pra frente, mas não, nossos professores ganham uma ninharia, enquanto “qualquer funcionário de de um nível mais baixo” nos poderes legislativos e judiciários ganham, dependendo do estado, 10 vezes mais. Não é só culpa do governo vigente, é culpa também da maioria de nossos parlamentares que só votam em seu próprio benefício ou de suas estâncias, esquecendo que eles estão lá no parlamento para representar todo um povo, naquele parlamentar que você acreditou que te decepcionou e que você continua votando nele em cada eleição. Um povo trabalhador que paga seus impostos em cada “grão de feijão” que compram, contribuem para a previdência para um dia ter uma aposentadoria descente, em nome de um reajuste da economia retiram seus direitos, mas não ”corta na própria carne” que nada mais é que a autoflagelação antes de chicotear ou penalizar terceiros e pensar no próximo antes que em si mesmo. Pois é amigos, no Brasil só não perde quem pode, quem tem poder e são amigos do rei. Perde quem não merece mesmo com seu suor derramado para fazer um país melhor. Eu quero que o governo se redima e traga nosso Brasil de volta ou, como já aconteceu antes, que o povo o faça. Até a próxima.
“ACREDITAR é o primeiro passo para o MILAGRE”

domingo, maio 24, 2015

A Importância da Imprensa e o Jornalismo em Nossas Vidas!

A informação é tudo. Não a nada que substitua este tipo de trabalho na vida de todos nós. Ela nós influencia nossas decisões para o certo e principalmente para errado, pois uma informação caluniosa nunca sai da cabeça da maioria das pessoas se tornando uma verdade mentirosa que jamais será esquecida e também valerá de tema de discursão por décadas. Já uma informação correta pouco importa para muitos e será esquecida mais rápida que o vento. Em países de primeiro mundo como EUA e na maioria dos países europeus, a informação lida, escrita, ouvida e televisada é levada tão a sério que quem transgredir as regras e padrões é penalizado com rigor. Tudo que já aconteceu no planeta entre guerras, desavenças e morte de milhões de pessoas se deve a imprensa por informações de intrigas e egocentrismo, pois quando um fala ou escreve, milhões que estão ouvindo ou lendo estão acreditando ou não na informação dada. Daí, as opiniões se divergem e o atrito é inevitável. Mas o melhor é que tudo que acontece de descobertas e inovações para melhorar a vida das pessoas também se deve a ela. Pena que no nosso amado Brasil Varonil, jornalistas sérios são contados a dedo. Mais sério ainda são os meios de comunicação que são “comprados”. Isto mesmo, comprado pelos poderosos para passar falsas informações que influenciam decisões importantes, como por exemplo, o voto que irá decidir um período enorme de coisas boas ou infelizmente ruins que está acontecendo agora em nosso país. São profissionais da mídia, e marqueteiros de plantão que sabem que a população acredita mais em mentiras que em verdades como citei acima. Quando no poder, este tipo de profissionais denigre a imagens de outros sérios que acabam ficando as margens e nos cantos oprimidos pela sua seriedade. Quantos Boris Casoy, Lillian Wite Fibe, Ricardo Boechat, Rachel Sherezade, Arnaldo Jabor, Carlos Chagas, Denise Campos de Toledo, José Neumanne Pinto, Merval Pereira, Willian Bonner, Carlos Alberto Sardemberg ou Reinaldo Azevedo você conhece? 

Estes profissionais, sérios e que não têm medo de dizer a verdade do que pensam independente de quem quer que seja estar no governo são a minoria. Como eu disse, pena que eles são contados a dedo. Inclusive falar a verdade sobre um “cara” que todos conhecemos que não tem um dedo. Quer ver um absurdo? Acredite se quiser, mas apenas 6% (seis por cento) dos brasileiros leem jornais e dentre destes, os cadernos mais lidos, são notícias locais esportes notícias policiais, classificados, cultura e lazer e economia e política Brasileira (10%). Fazendo as contas entre 200 milhões de brasileiros, dos 6% (seis por cento) que leem jornais, apenas um pouco mais de 4 milhões de brasileiros se importa com a economia ou política, coisas que decidem o nosso cotidiano. Já os que assistem TV e acreditam em falsas notícias por muitos que se vendem para as grandes emissoras, são mais de 90%. Quando eu falo em falsas notícias não são todas as informações, mas informações que levam ao leitor ou o telespectador a acreditar em tudo que o sistema (panelinha) lhes convém. Outra coisa intrigante; Você notou os sobrenomes dos melhores jornalistas do Brasil? A maioria têm nomes que nenhum brasileiro sabe de onde saiu. Souza, Silva, Santos, os mais comuns não existe, a não ser o Merval Pereira, mas mesmo assim, você conhece algum Merval a não ser ele? Eu não conheço. Porque será? Será que eles são descendentes de outras culturas que não se vendem? Pensem nisto. Infelizmente no Brasil, profissional da TV e que influenciam a maioria da população com suas falas e pensamentos como: Jô Soares, Gugu Liberato, Xuxa, Ana Maria Braga, Fátima Bernades entre outros que são “pau mandados”, ou perdem seus postos e seus ricos salários que chegam a ultrapassar 2 milhões por mês, ou seja, mais de 2.500 salários mínimos mensais. Você trocaria tudo isto por dizer a verdade? Incógnita. Só que existe como os que eu citei acima. Sendo assim amigo (a), escolha e valorize os profissionais da informação que realmente quer te passar a verdade, como eu que foi demitido do trabalho por discordar do regime. Até a próxima.